O que é e-business? Para que é isso?

Saiba o que é o e-business, como ele difere do e-commerce, e alguns modelos e exemplos de inspiração.

O e-business mudou a forma como as empresas fazem negócios. Nos últimos anos, a digitalização de processos e a adoção de modelos de vendas cada vez mais modernos provocaram mudanças significativas nas relações comerciais.

Por um tempo, apenas grandes empresas conseguiram implementar uma estrutura de e-business, hoje em dia, as pequenas e médias marcas também se beneficiam dos negócios digitais.

Mas você realmente sabe o que é o e-business? Abaixo, você entenderá melhor o conceito e suas vantagens, a importância de adotar tal modelo e as semelhanças e diferenças entre e-business e e-commerce.


O que é o e-business?

Para definir o que é o e-business, é importante falar primeiro sobre transformação digital nas empresas. Isso se refere ao uso cada vez mais intensivo de novas tecnologias no mundo dos negócios.

Mais do que apenas trabalhar em computadores, a ideia significa mudar a cultura de uma empresa e adotar ferramentas que realmente fazem a diferença no dia a dia.

Nesse cenário, temos e-business. Também chamado de negócio eletrônico, ele permite realizar transações digitalmente através de diferentes plataformas.

O termo ajuda a classificar empresas que operam completamente digitalmente, ou mesmo aquelas que costumavam operar fisicamente e depois passaram a operar eletronicamente, com uma estrutura fortemente baseada em tecnologia.

Hoje, as transações de e-business são realizadas pela internet e estão facilitando a vida de clientes e empreendedores.


A diferença entre e-business e e-commerce

Como já mencionado no tópico anterior, o e-business realiza todas as operações na internet. Mas o que são e-business e e-commerce, e qual é a diferença entre eles?

O e-business é toda a organização empresarial, enquanto o e-commerce é um termo bem conhecido para comércio eletrônico. Não é nada além da compra e venda de serviços e produtos na internet.

Nesse processo, todas as etapas são realizadas online: visualização de produtos, escolha do que comprar e e pagamento. Depois, os clientes decidem se querem receber o produto em casa ou buscá-lo em um local de loja.

Existem diferentes tipos de e-commerce: B2B (business to business), B2C (business to consumer) e C2C (consumidor para consumidor).

Então, o e-business e o e-commerce não são os mesmos, embora as pessoas geralmente confundam os dois. O e-commerce é um tipo de e-business, mas existem outras formas de fazer negócios eletronicamente, como você verá abaixo.


Para que é o negócio eletrônico?

Agora que você conhece o conceito de e-business e como ele difere do e-commerce, continue lendo para aprender um pouco mais sobre seus objetivos.

De um modo geral, pode-se dizer que o e-business ajuda uma série de processos de negócios em uma empresa.

Como assim? Os sistemas digitais facilitam o dia a dia dos negócios por meio de soluções inovadoras.

Por exemplo, enquanto um modelo de e-commerce permite realizar vendas e compras, em um e-business, existe uma infraestrutura operacional completa, que garante um atendimento superior ao cliente.

Além disso, as empresas parceiras podem se conectar mais facilmente, e há outros benefícios a serem tidos para sua marca, incluindo:

  • Participar do e-commerce e vender para consumidores que estão geograficamente distantes da empresa, ou mesmo criando uma loja virtual.

  • Integração de processos internos, como marketing, vendas e logística.

  • Custos mais baixos, já que entre outras coisas a infraestrutura eletrônica requer menos espaço físico e permite a comunicação on-line com parceiros.


Características do e-business

Mesmo depois de explicar o que é o e-business e para que serve, você ainda pode ter algumas perguntas sem resposta sobre este modelo de negócio. Para isso, listamos alguns dos principais recursos da empresa e para que você possa entender melhor como ele melhora as empresas.

  • Prompt atendimento ao cliente graças à agilidade dos processos online.

  • Redução de custos por economia em infraestrutura física, processos de trabalho mais rápidos e confiança nos resultados.

  • Ofertas de negócios pela internet, além da chance de alcançar diferentes perfis de audiência, dependendo do modelo de e-business.

  • Possibilidade de criar uma cadeia de valor que conecte clientes, fornecedores e parceiros, para uma visão completa do público em relação à marca.

  • A tecnologia se move para o centro de toda a operação – não mero apoio – atuando em alinhamento com os objetivos do negócio.

  • Todos os departamentos da empresa podem trocar informações através de sistemas digitais, facilitando a comunicação em todas as etapas do fluxo de trabalho.

  • Otimização de processos de negócios, com estratégias bem definidas e visão global de desempenho.

Modelos de e-business

Justamente por operar digitalmente e online, existem inúmeras formas que um e-business pode tomar. Você aprenderá abaixo os detalhes dos principais tipos de e-business.


B2C

De empresário para consumidor é um dos modelos mais comuns nas relações comerciais. É quando uma empresa oferece um produto ou um serviço para um consumidor final. Uma loja online é um exemplo clássico deste modelo.


B2B

Negócio para negócio é a relação comercial entre duas empresas. No caso do e-business, isso pode ocorrer em plataformas de comunicação entre parceiros, ou mesmo na compra online de produtos e serviços.


B2E

O modelo empresa-para-funcionário pode ser visto em plataformas de comunicação entre empresas e funcionários. Um exemplo comum é a intranet - um sistema interno com informações importantes para os funcionários.


B2G

No modelo empresa-para-governo, a empresa possui canais específicos para interagir com o poder público, como quando se trata de licitações públicas de uma cidade.


C2B

Nas relações entre consumidores e empresas, ocorre o inverso do B2C: o cliente acessa uma plataforma da empresa para fazer uma solicitação. Formulários em um site da empresa são um exemplo fácil de entender.


E2B

O mesmo vale para o modelo empregado-empresa. Em vez de ser uma transação da empresa para os funcionários, o pedido vem do funcionário. A plataforma usada provavelmente será a mesma do B2E.


G2B

Há também o modelo governo-negócio, que pode ser visto em plataformas para envio de formulários de pagamento, certificados e conformidade regulatória específica para cada setor.


G2G

Este é o modelo governo-para-governo, que pode ser visto em sites que as prefeituras usam para enviar pedidos ao governo federal.


G2C

No modelo governo-consumidor, o governo implementa formas de se comunicar com os cidadãos, como no caso da emissão de um certificado de liberação ou pagamento on-line de impostos e multas.


C2G

O modelo de consumo para governo baseia-se no fato de que o consumidor entrará em contato com o governo. Um exemplo disso seriam os cidadãos que respondem a uma pesquisa do governo.


B2B2C

O modelo De Negócios para Negócios para Consumidor inclui toda a cadeia comercial, desde a indústria até o consumidor final.

Os atacadistas podem vender para o consumidor final sem impactar o varejista, já que utilizam o varejista para chegar ao cliente. No entanto, a rede só é iniciada quando o consumidor final faz a compra, por exemplo, em uma loja online.


D2C

D2C significa Direct-to-Consumer e é caracterizado pela venda direta do fabricante para os consumidores finais, não exigindo intermediários como distribuidores.


C2C

Existem plataformas de consumo para consumidor, cujos principais exemplos são sites para anúncios classificados – ou seja, um consumidor final fazendo negócios com outro consumidor final.

Há também plataformas de comunicação entre governo e cidadãos (e vice-versa). E, como deve ser claro até agora, o objetivo é sempre agilizar solicitações, otimizar fluxos de serviços e facilitar as operações de trabalho.


Exemplos de e-empresas

As empresas de e-e estão ganhando uma parcela cada vez maior do mercado em vários campos. Abaixo, você verá alguns exemplos de negócios eletrônicos que você certamente usou ou ouviu falar.


Google

O Google é o exemplo mais popular de um negócio eletrônico. Realiza todas as suas operações inteiramente digitalmente sem qualquer unidade física de atendimento ao cliente.

Além do famoso mecanismo de busca, o Google oferece uma série de ferramentas de negócios, incluindo e-mails, salas de reunião, calendários e serviços de compartilhamento de arquivos.


Streaming

Plataformas de streaming como Netflix e Amazon Prime são outro modelo consistente de negócios eletrônicos. Todo o processo de assinatura, atendimento ao cliente, cancelamento, pagamento e até mesmo uso do produto em si é online.


Bancos digitais

Os bancos digitais também se tornaram muito populares nos últimos anos. Nesse tipo de modelo, o cliente abre a conta e realiza todas as transações online, geralmente em aplicativos móveis.


Como um e-business está estruturado?

Para que a empresa veja as vantagens do e-business, é fundamental ter uma infraestrutura sólida que lhe permita executar com sucesso processos de negócios.

Conheça abaixo seis sistemas essenciais para estruturação de um e-business.


Comércio eletrônico

Como explicado anteriormente, o e-commerce é um tipo de e-business, e para funcionar, precisa de um sistema robusto que forneça uma navegação adequada para o consumidor.

O e-commerce deve ser capaz de acompanhar o consumidor em todas as etapas da jornada de compra, além de proporcionar um ambiente seguro para que as transações ocorram sem problemas.


A plataforma de e-commerce deve atender modelos B2B e B2C, com a possibilidade de integrá-los com sistemas de logística, marketing e controle de estoque. Também analisa dados estratégicos para aumentar o percentual de conversão.


Além disso, há também sistemas de BPM, ECM e CRM explicados em detalhes abaixo. A integração desses sistemas proporcionará uma visão completa da sua empresa e das interações entre clientes e fornecedores.


BPM

A Gestão de Processos de Negócios é muito importante para o e-business. É responsável por centralizar, automatizar e gerenciar processos de negócios, sempre com o objetivo de melhoria contínua.

Um sistema de BPM (ou um BPMS) mitiga falhas, executa processos mais rapidamente, garante armazenamento padronizado de documentos e informações e ainda torna sua equipe mais produtiva.

Com essa ferramenta, sua empresa garante as soluções corporativas mais comuns em uma única plataforma: RH, administrativo, financeiro, marketing, TI, jurídico e muito mais. Tudo integrado em um único sistema pronto para uso!

Aprenda as vantagens de usar um BPMS em seu negócio.


CRM

Não podemos falar de e-business sem falar sobre Gestão de Relacionamento com o Cliente.

Uma boa ferramenta de CRM pode otimizar o atendimento ao cliente e fornecer uma visão 360º de sua jornada de compra na empresa.

O CRM registra e organiza os pontos de contato do cliente com a empresa e armazena dados importantes. Dessa forma, a empresa garante mais oportunidades de se conectar aos leads e pode ganhar insights para fazer ofertas personalizadas.

Como resultado, o CRM permite que você construa relacionamentos duradouros, uma vez que oferece ao cliente a melhor experiência possível com sua marca.

Você pode ter um CRM capaz de gerenciar todo o ciclo de vida do cliente e acompanhar as vendas que também suportam gerenciamento visual orientado a resultados.


Ecm

Uma solução ECM (Enterprise Content Management) permite que sua empresa centralize completamente suas informações e reduz drasticamente o risco de perda de documentos, pois você terá todo o seu conteúdo e documentos unificados em um único sistema.

O ECM ajuda a identificar e reduzir gargalos, melhora os processos de armazenamento e mantém a integridade dos documentos em geral, utilizando um conjunto de processos e rotinas de negócios.


BI

O Business Intelligence é um campo que coleta, organiza, gerencia, analisa, compartilha e transforma dados da empresa em relação ao seu mercado operacional e a todo o sistema econômico, a fim de apoiar os gestores de negócios.

Com os dados fornecidos por essa análise, torna-se possível tomar decisões mais confiantes e prever a taxa de risco de cada transação. O BI também fornece insights de marketing, atendimento ao cliente, vendas e muito mais!


E-Procurement

O E-Procurement é um sistema de comunicação entre empresas e fornecedores. Com esta ferramenta, as empresas podem melhorar seu relacionamento com parceiros em todas as etapas de compra e aquisição.

Uma ferramenta de aquisição busca os suprimentos necessários para realizar cada atividade, realiza pesquisas de mercado, assina contratos e facilita a escolha de fornecedores, tudo automaticamente.


E-SCM

A Gestão da Cadeia de Suprimentos é o campo responsável pela administração de suprimentos de negócios. Em um e-business, essa administração também é feita por meio de uma plataforma digital.

Um sistema SCM bem estruturado facilita a comunicação entre diferentes departamentos responsáveis por acompanhar a compra e distribuição de suprimentos, resultando em processos mais eficientes.

Todo o fluxo de trabalho opera de forma mais supervisionada, desde a tomada da ordem inicial até a distribuição para o consumidor final. Além de otimizar processos, garante mais rentabilidade para o negócio.


Por que é importante implementar o e-business?

O e-business tem um papel estratégico importante para as empresas que desejam um desempenho mais forte na web.

Com soluções de e-business, as marcas podem fornecer aos consumidores pontos de contato que operam 24 horas por dia, 7 horas por semana, e podem ser acessados em qualquer lugar do mundo.

Assim, as empresas não se restringem à localização ou horário de funcionamento e podem expandir significativamente o escopo de suas operações.

O e-business faz parte de um grande momento de transformação digital que oferece às empresas mais oportunidades de crescimento.

Para que os benefícios sejam plenamente aproveitados, é vital moldar a cultura da sua empresa e ter as ferramentas apropriadas.


3 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo